quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Para curar o dia

Hoje resolvi me sabotar. Eu tinha planejado - e até escrito - um post falando sobre a chuva de festivais que vão acontecer no mês de outubro: Festival das Juventudes, JeriFest, Oktoberfest e Festival de Cultura UFC. Mas mudei de ideia por dois motivos: o Filipe já sabe pra qual deles eu vou (não entendeu? Recupere o tempo perdido lendo aqui) e, depois de um dia ruim, eu pensei forte comigo em como queria estar em um lugar bom, longe do barulho da cidade e perto da tranquilidade. Por sorte, o longe não precisa ser tão longe. 

Descobri, passeando pela UFC no início deste ano, um cartaz bonito em verde e amarelo divulgando a tal de uma cura do planeta. Por causa da falta de informações muito claras no cartaz a respeito do que, afinal, era aquilo, torci o nariz achando que aquela história de curar o planeta fosse coisa de religiosos fervorosos descontentes com a promiscuidade do mundo (ok, exagerei). Ainda bem que eu estava errada. Pesquisei no deus Google e encontrei algo que eu poderia jurar que tinha sido feito sob encomenda pra mim.

Com endereço oficial na Avenida Senador Virgílio Tavora, número 867, casa 58, fica a casa da Cura do Planeta, o aconchego que serve de sede para a ONG de mesmo nome. Logo em frente está a Praça Da Cura, um dos lugares mais especiais da cidade. A minha primeira sensação ao entrar na praça foi um curioso desconforto, muito bem descrito - e até mesmo esclarecido pra mim mesma, que até então não estava entendendo nada - pela minha prima: era estranho ver tanta gente diferente, mas um diferente ao qual a gente não está acostumado. Gente do bem, desapegada a bens. Mas isso são divagações para outro momento...

Plaquinhas na Praça da Cura
A ONG Cura do Planeta existe desde 2010, como parte integrante da Associação Sócio-Cultural Universos. A intenção da organização é promover a sustentabilidade e uma nova visão de consumo, baseados na redução dos danos ambientais e na existência harmônica entre ser humano e meio ambiente. Com a proposta do florescer de um novo tempo através da preservação da vida, são praticadas atividades que realizam ou fomentam o desenvolvimento ecologicamente sustentável. A Praça da Cura é a materialização disso: a dois quarteirões do terreno que foi desmatado numa ação silenciosa de uma empresa privada em pleno feriado de Carnaval, no meio da floresta de concreto e entre lojas de marca, o espaço foi construído com materiais reaproveitados de construções, possui telhado verde, banheiro seco, forno à lenha, lanchonete vegana, plantação de vegetais, etc.

"Tá, mas e aí, o que tem de legal pra fazer por lá?" Muita coisa! Oficinas, minicursos, cineclubes, aulas de dança e yoga... De vez em quando a organização também traz música pra praça, como quando os caras da Amaru Pumac Kuntur (Peru) vieram mostrar o som deles por aqui. E no restaurante vegano tem almoço de terça a domingo (nada de animais mortos, hein? Eles fazem o sanduíche de soja mais gostoso da cidade!). A programação de todas as atividades pagas e gratuitas está no site da Cura e é divulgada no perfil oficial no Facebook. Terça-feira tem Encontro de Malabares às 19 horas, alguém tá afim?!



E tem mais...
PROGRAMAÇÃO PRA SEMANA
(se você tiver mais dicas compartilhe com a gente!)

7 comentários:

  1. Eu já tinha dito isso há algum tempo, mas é sempre bom registrar: eu não sei onde a Camila consegue encontrar tanta coisa!

    Muito interessante essa ONG.

    ResponderExcluir
  2. também tenho a mesma dúvida. mas é muito bacana a cura do planeta mesmo. ;D

    ResponderExcluir
  3. Camila, a enciclopédia-do-que-fazer-em-Fortaleza.

    ResponderExcluir
  4. as melhores essências estão nos menores frascos! hehe

    ResponderExcluir
  5. Se desse pra curtir esse comentário da Júlia eu curtia. hehe

    A ONG A Cura do Planeta aceita voluntários.
    (Pra quem não se importa com a causa, é sempre bem visto no currículo trabalho voluntário em ONG)

    Parabéns pelo Blog, galera.

    ResponderExcluir
  6. e a yoga lá é belezura :)

    ResponderExcluir